Pular para o conteúdo principal

CAPITÃ MARVEL| Este não é o pior filme do MCU



Este texto não é uma crítica somente ao filme Capitã Marvel (2019) também quero falar sobre a importância que ele tem ao trazer para as telonas um filme solo de uma heroína. Há algum tempo tinha-se a visão de que filmes solos de heróis protagonizados por mulheres não traria um bom retorno de público, então o filme "Mulher Maravilha" ( 2017) chegou e abriu novas portas para que heroínas , como a Capitã Marvel  fossem representadas nas telonas.

O filme se passa na década de 90 e conta a origem de uma das personagens mais fortes do MCU. Carol Denvers (Brie Larson) é uma jovem piloto de testes que ao ser atingida por uma explosão ganha super poderes e se envolve na guerra intergalática entre os Kree e os Skrulls. Para acabar com esta guerra ela conta com a ajuda de um inexperiente Nick Fury ( Samuel L. Jackson). de sua melhor amiga Maria Rambeau ( Lashana Lynch) e do gatinho Goose.




Desde antes de sua estreia o filme da Capitã Marvel já vinha gerando polêmicas no mundo nerd quando algumas pessoas resolveram derrubar a  avaliação do longa no Rotten Tomatoes, antes mesmo do filme estrear, especula-se que isso aconteceu por causa das declarações feministas da atriz Brie Larson. Engraçado ver como muitos homens não sabem lidar com mulheres brilhando e protagonizando grandes filmes.

Eu estava muito ansiosa pela estreia de Capitã Marvel, primeiro porque eu adoro filmes de heróis, segundo porque eu não deixaria de prestigiar um filme com protagonismo feminino num ambiente tão hostil para mulheres como é o mundo nerd. Assim que o longa estreou eu comecei a ver uma enxurrada de comentários (a maioria feito por homens) de que o filme seria o pior do MCU, achei estranho, porque num universo que nós temos Homem de Ferro 3 e Thor, seria preciso muito esforço para fazer um filme ainda pior, isso sem contar que anteriormente as primeiras impressões que saíram sobre o longa eram bastante positivas. 

Então semana passada finalmente consegui a verba para ir ao cinema e ver tirar minhas próprias conclusões sobre Capitã Marvel, e para a surpresa de zero pessoas o filme nem de longe é o pior da Marvel ( Olá Era de Ultron), embora também não seja o melhor (Pantera Negra dono do meu coração), o longa está na média dos filmes do MCU. Achei que os personagens são bem carismáticos, há algumas boas piadas, a Brie Larson é linda, maravilhosa e é incrível ver ela contracenando com o Samuel L. Jackson. Para um filme de origem ele cumpriu muito bem seu papel. Eu adorei ver a Carol Denvers descobrindo seus poderes e, principalmente descobrindo quem ela é. A única coisa que eu senti falta no longa foi de uma trilha sonora mais marcante. 




Gostaria de destacar aqui um momento do filme (não é spoiller), quando a Capitã Marvel (Brie Larson) atinge praticamente todo seu poder eu vibrei na no cinema, eu tava tão empolgada quanto a personagem  destruindo seus inimigos na base do 'encontrão'. Eu sempre gostei de filmes de heróis, seria legal quando eu era criança poder ter assistido o filme de uma heroína maravilhosa, super poderosa, badass. 

E pra finalizar: quem achou que filmes de heróis protagonizado por uma mulher não daria retorno, Capitã Marvel estreou no dia 7 de março e  doze dias depois já arrecadou 760 milhões de dólares ao redor do mundo, o longa estrelado por Brie Larson está caminhando para figurar entre as maiores bilheterias do universo cinematográfico da Marvel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CRÍTICA| Loja de Unicórnios e a singela mensagem de amadurecimento

Loja de Unicórnios entrou para o o catálogo da Netflix Brasil no ultimo dia 05 de abril. O longa foi o primeiro trabalho como diretora da atriz Brie Larson (Capitã Marvel, 2019), ela também estrela a produção. Loja de Unicórnios foi lançado em 2017 e é uma adaptação do roteiro escrito por Samantha McIntyre.
Kit (Larson)  é uma jovem que ao ser expulsa da faculdade de Artes começa a se sentir um perfeito fracasso. Sem saber muito o que fazer de sua vida, ela teve que voltar a morar na casa dos pais e começa a tentar se adequar em um perfil que simplesmente não cabe nela. Após encontrar um emprego temporário em um escritório de comunicação, Kit recebe um convite para ir até A Loja, lá ela conhece o Vendedor (Samuel L. Jackson) e ele lhe oferece a incrível oportunidade de comprar seu próprio Unicórnio, mas antes ela precisa preencher alguns requisitos.


Este foi um filme que conversou muito comigo, porque a personagem passa por todo um processo para enfim conseguir se reencontrar. Ao ser …

CRÍTICA| Operação Fronteira: um bom elenco para um roteiro mediano

Um dos lançamentos da Netflix em março deste ano foi o  longa de ação "Operação Fronteira". O filme estrelado por Ben Affleck, Charlie Hunnam, Garret Hedlund, Oscar Isaac e Pedro Pascal conta a história de cinco amigos e ex-combatentes do exército americano quando eles planejam assaltar a casa de um poderoso narco-traficante mexicano no meio da floresta Amazônica.
Pra ser sincera eu não achei o filme ruim, mas fiquei com a impressão de que faltava algo na história que prendesse mais a minha atenção. A sensação que o filme passa é sempre de que algo  muito ruim vai acontecer, ou de que o plano vai dar todo errado, e de certa forma é isso mesmo que acontece, mas acho que não exatamente do jeito que eu esperava. 
Outra coisa que me incomodou muito foi o fato de que a relação dos personagens não é bem contextualizada, ou seja, a gente não sabe como a relação deles começa, quais as dívidas que eles têm uns com os outros ou o porquê deles verem o personagem Tom Davis (Ben Affleck

CRÍTICA| Durante a tormenta

Durante a tormenta é um filme de drama/suspense espanhol, o longa foi lançado em 2018 e chegou este mês na Netflix. Devido a uma falha  no espaço-tempo causada por uma tempestade a jovem Vera Roy ( Adriana Ugarte) salva a vida de um garoto que morreu atropelado em 1989, no entanto ao mudar o passado ela também altera o futuro e faz com que  sua mude vida completamente.
Há muito tempo o cinema traz histórias de viagem no tempo e, um ponto em comum que a gente aprendeu em várias delas é que não se pode alterar o passado sem que haja muitas consequências no futuro. Em 'Durante a tormenta', Vera (Ugarte), perdeu sua filha, seu marido e toda a vida que ela conseguia se lembrar, mas com a ajuda do Inspetor Leyra (Chino Darín) ela vai tentar recuperar o que deixou para trás. Porém o que Vera (Ugarte) não se deu conta é que  em sua busca para recuperar uma vida antiga ela acabou não se importando em como estaria sua vida atual nesta nova realidade. 


Eu gostei muito de como o filme tra…