Pular para o conteúdo principal

CREED| Adeus Rocky!


Não se preocupem, o título não é um spoiller, o próprio Sylvester Stallone já andou falando por aí que essa era a última aparição de seu personagem mais icônico. O meu primeiro post aqui no blog foi falando da minha relação com os filmes do Rocky e posteriormente com os filmes do Creed, é uma franquia que desperta muitos sentimentos em mim, principalmente porque eu cresci assistindo.




Em "Creed 2" nós vemos o personagem Adonis (Michael B. Jordan)  se consagrando campeão mundial dos Pesos-Pesados e, sendo desafiado para uma luta por Viktor Drago (Florian Munteanu), filho do assassino de seu pai. O filme segue a estrutura comum de todos os filmes da franquia, o primeiro ato tem a queda, no segundo ato a recuperação e reflexão e no terceiro ato treinamento e luta final.


É interessante perceber que Adonis carrega o mesmo sentimento que seu pai tinha, ele é o campeão porém não se sente como tal e, é esse sentimento somado ao sentimento de vingança que o faz aceitar sua primeira luta com Viktor, mesmo contra a vontade de Rocky. Nós vemos aqui uma parte da história de Apolo (Carl Whethers) se repetindo quando Adonis chega muito confiante para enfrentar o Drago filho, porém logo no começo da luta nós vemos o seu emocional sendo destruído a cada porrada. É muito simplista colocar os Drago's como vilões da história, eles estão ali tentando reaver algo que há muito tempo foi perdido, é mais do que simplesmente só a vingança pela vingança, para Rocky, Drago (Dolph Lundgren) quebrou algo nele que nunca mais pôde ser consertado, mas ele também tirou coisas do Drago que nunca mais puderam ser repostas.


Como em todos os filmes do Rocky o box serve apenas de alegoria para outras coisas, em Creed 2 isso serve para discutir as relações paternas e familiares, esse é na verdade o tema central do filme. Nós vemos Ivan Drago descontando todas as suas frustrações no filho, ele enxerga em Viktor a chance para se redimir de sua antiga derrota. Rocky tem problemas de relacionamento com o filho, que apesar do lindo discurso feito em Rocky Balboa, ainda é uma relação difícil. Já Adonis vai se tornar pai, aceitar uma luta com o filho de Drago  implica em talvez repetir a mesma história de Apolo, mas não lutar significar viver com um pedaço da própria história faltando.


O filme não deixa explicito que esse seria o ultimo filme com a aparição de Balboa, mas as pistas estão lá, desde o diálogo com Adonis quando Rocky diz "você tem que aprender a tomar decisões inteligentes, eu não vou estar sempre aqui" até a ultima cena da luta final. Sinceramente eu acho que essa foi uma ótima despedida para o personagem. Michael B. Jordan já provou que consegue segurar muito bem o filme e, seria legal vermos Adonis se virando sem estar sob a sombra de ninguém.

Creed 2 estreou nos cinemas do Brasil no dia 24 de janeiro.

Confira abaixo  Stallone se despedindo de seu icônico personagem:






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NETFLIX| É isso que dá ajudar Sementes Podres, babaca

O que um refugiado árabe que aplica pequenos golpes pode ensinar a um grupo de crianças marginalizadas? Essa pergunta é perfeitamente respondida em Sementes Podres (2018), que enche até o mais vazio dos corações de esperança.
Wael (Kheiron) um rapaz que cresceu vendo os horrores da vida, desde que perdeu os pais muito cedo, tenta se redimir ajudando um grupo de crianças que precisam cumprir detenção após a escola. Com o decorrer da história vamos conhecendo um pouco da intimidade das crianças, além de conhecermos a infância de Wael através de flashbacks. O ritmo do filme que lembra muito obras como “Mudança de Hábito” (1992) e “Ao mestre com carinho” (1967) é uma injeção de esperança em uma época que precisa acreditar que pessoas melhoram e podem dar certo.



Cheio de momentos marcantes, um pequeno diálogo chama a atenção quando o pequeno Wael (Aymen Wardane) fala para Monique (Ingrid Donnadieu) que Deus gosta de fazê-lo perder pessoas. Dirigido e roteirizado pelo próprio Kheiron, Seme…

TERROR| Vale a pena assistir ao filme "Mara"?

Esses dias eu vi algumas pessoas comentando sobre um filme de terror chamado "Mara" (2018) , sem saber muito bem que filme era esse fui verificar se ele estava disponível na Netflix para poder assisti-lo e dizer pra vocês se vale a pena ou não dedicar um tempo de vida a ele. 
O filme conta a história de Kate (Olga Kurylenko) uma psicóloga forense que se vê as voltas com um caso de assassinato misterioso no qual a única suspeita afirma que seu marido foi estrangulado na própria cama por um demônio do sono.

Eu achei que a história poderia ser interessante e, confesso que até fiquei com medo de não dormir a noite, já que eu tenho paralisia do sono e sou facilmente sugestionável. Porém o roteiro não entrega o que promete e acaba utilizando muitos 'jump scares' para assustar, esse recurso é tão utilizado que em dado momento o espectador já nem se assusta mais porque já está esperando por aquilo.
Outro ponto que também não me convenceu no filme foram as atuações, algumas …

SÉRIE| A maldição da residência Hill

Em outubro desse ano a Netflix estreou a primeira temporada da série de terror “A maldição da Residência Hill (The Haunting of Hill House)”, criada porMike Flanagane baseada no livro homônimo de Shirley Jackson (1959). A série conta a história da família Crane durante o período em moraram na mansão Hill e como os eventos que aconteceram na casa afetaram a família para sempre. Confesso que antes de assistir fiquei um pouco apreensiva, não porque tenho medo de filmes/ séries de terror (apesar de ser muito sugestionável), meu receio era a série ficar maçante com excessos de "jump scare", mas isso não aconteceu, os sustos são pontuais e a história fica muito mais focada no drama familiar.

Outro ponto a ser elogiado é a montagem dos episódios, os momentos em que passado e presente se intercalam foram construídos de maneira perfeita, sem ficar cansativo ou desgastante. É interessante reparar também que no inicio da série esses momentos eram avisados com legenda, mas depois foram fic…