Pular para o conteúdo principal

DICAS| Dez comédias românticas pra assistir hoje a noite

Nós do Marco do Percurso separamos para vocês uma seleção com as melhores comédias românticas que conseguimos listar. Pensamos em filmes leves, divertidos e com uma pitada de romance porque nem só de amargura e boletos vive o Homem.


Inspirado na Megera domada  (William Shakespeare) o filme conta a história de Kat Stratford (Julia Stiles) e Patrick Verona(Heath Ledger). No longa o personagem de Ledger tenta conquistar de todas as formas a menina que é considerada a megera do colégio. A verdade é que de megera ela não tem nada, Kat é uma menina forte, muito ciente do quer e, numa sociedade machista uma mulher que se impõe geralmente não é vista com bons olhos.



É um filme original Netflix, baseado no livro homônimo escrito por Jenny Han. O longa conta a história de Lara Jean (Lana Condor), uma adolescente que ao longo de sua vida escreveu cartas nunca enviadas para seus crushs. O problema começa quando misteriosamente os garotos que ela já amou começam receber essas carta e ela precisa fingir que namora um deles para não entrar em maiores confusões.


Set It Up
Foto: KC Baily/Netflix
Harper (Zoey Deutch) e Charlie (Glen Powel) são dois assistentes com chefes extremamente malucos e workaholicks. Para ter um tempo livre e a vida pessoal de volta os dois armam um plano para fazer a fazer seus respectivos chefes se apaixonarem. O que poderia dar errado? Eu te digo, eles não contavam com o fato que os dois acabariam se apaixonando e que o chefe do Charlie é uma babaca de carteirinha.



Will Hayes (Ryan Reynolds) precisa contar para sua filha a história de como conheceu a mãe da garota, no entanto para fazer isso ele retorna ao passado e decide trocar o nome de seus três amores para que a jovem Maya (Abigail Breslin) descubra qual delas é a verdadeira história de sua mãe.

SIERRA BURGESS É UMA LOSER (2018)


Eu realmente queria que uma comédia romântica dessas tivesse aparecido na época que eu era adolescente. Eu vi algumas pessoas reclamando do fato da Sierra (Shannon Purser) não ser tão boazinha, mas pra mim ela é uma personagem extremamente humana, que nem sempre faz as escolhas certas. Apesar de gostar muito do par romântico dela, vivido  pelo gracinha do Noah Centineo (Para todos os garotos que já amei), o que mais me agradou foi o fato do surgimento da amizade entre a Sierra e sua "rival" Veronica (Kristine Froseth).



Gus (Zachary Levi) sofre de perda de memória recente, tipo a Drew Berrymore em "Como se fosse a primeira vez", então ele tem que se desdobrar para viver o seu romance com Molly (Alexi Bledel). Eu acho esse filme muito amorzinho!

ELE NÃO ESTÁ TÃO A FIM DE VOCÊ (2009)



Gigi (Ginnifer Goodwin) é uma jovem muito romântica que vive quebrando a cara em seus relacionamentos. Ela sempre cria expectativas sobre os crushs e geralmente acaba enfiando os pés pelas mãos. Quando ela conhece Alex (Justin Long) ele começa a lhe mostrar  sua visão mais fria e menos passional sobre relacionamentos. Esse é o plot principal do filme, porém em torno dele outros romances e fim de relacionamentos também estão acontecendo.



Eu esperei ansiosamente esse filme chegar na Netflix e assim que eles colocaram no catálogo eu já fui correndo assistir, infelizmente ele não está mais disponível no serviço de streaming. Maggie (Anne Hathaway) sofre prematuramente de Mal de Parkinson, graças a essa condição ela tenta viver sua vida sem se apegar a ninguém, até conhecer Jamie (Jake Gyllenhaall), um atraente vendedor de produtos farmacêuticos.



Jack (Simon Pegg) marca um encontro as cegas porém o que ele não esperava era que ia conhecer a mulher "errada", uma vez que Nancy (Lake Bell) fingiu  ser sua real pretendente. O problema é que uma hora essa confusão tem que ser desfeita e a verdade pode vir à tona.



Nat (Rose Byrne) e Josh (Rafe Spall) decidiram se casar mesmo com todos sendo contra e não apostando no sucesso do casamento. Ninguém aposta que o casal ficaria junto por mais de um ano, e aí será que eles conseguem mostrar que todos estavam errados?

...


Se você gostou dessa lista veja também:











Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NETFLIX| É isso que dá ajudar Sementes Podres, babaca

O que um refugiado árabe que aplica pequenos golpes pode ensinar a um grupo de crianças marginalizadas? Essa pergunta é perfeitamente respondida em Sementes Podres (2018), que enche até o mais vazio dos corações de esperança.
Wael (Kheiron) um rapaz que cresceu vendo os horrores da vida, desde que perdeu os pais muito cedo, tenta se redimir ajudando um grupo de crianças que precisam cumprir detenção após a escola. Com o decorrer da história vamos conhecendo um pouco da intimidade das crianças, além de conhecermos a infância de Wael através de flashbacks. O ritmo do filme que lembra muito obras como “Mudança de Hábito” (1992) e “Ao mestre com carinho” (1967) é uma injeção de esperança em uma época que precisa acreditar que pessoas melhoram e podem dar certo.



Cheio de momentos marcantes, um pequeno diálogo chama a atenção quando o pequeno Wael (Aymen Wardane) fala para Monique (Ingrid Donnadieu) que Deus gosta de fazê-lo perder pessoas. Dirigido e roteirizado pelo próprio Kheiron, Seme…

OSCAR| Saiba quem foram os dez últimos ganhadores na categoria Melhor Filme

Daqui a pouco mais de um mês acontece a 91ª edição do Oscar, o evento é conhecido por premiar os melhores filmes do ano anterior (nem sempre a justiça impera). Pensando nisso nós do Marco do Percurso separamos para vocês os últimos dez ganhadores na categoria Melhor Filme, a principal da premiação.

Então pega sua pipoca e seu controle e vem com a gente!

A FORMA DA ÁGUA (2018)



Dirigido por Guilhermo Del Toro "A forma da água" conta a história de Elisa (Sally Hawkins), uma zeladora muda que trabalha em um laboratório ultra secreto do governo dos Estados Unidos durante o período da Guerra Fria e, que acaba se apaixonando por uma criatura fantástica que era mantida em cativeiro pelo laboratório.

MOONLIGHT: SOB A LUZ DO LUAR (2017)



Dirigido por Barry Jenkins o filme conta toda a jornada de autoconhecimento de Black ( Trevante Rhodes, na fase adulta), um menino negro, gay e periférico de Miami. Destaque aqui para a atuação brilhante de Marhershala Ali, como o traficante Juan.

SPOTLI…

CRÍTICA| Polar não é o John Wick da Netflix

Assim que a Netflix começou a divulgar os trailers e imagens de Polar muita gente começou a comparar o personagem de Mads Mikkelsen como sendo o John Wick (Keanu Reeves) da Netflix, mas ontem depois de assistir ao filme eu posso afirmar pra vocês que Polar não chega nem perto do que foi "De volta ao jogo".
Baseado na graphic novel homônima publicada pela Dark Horse o filme acompanha a história do assassino de aluguel Duncan Vizla (Madds Mikkelsen) que, ao ser forçado a se aposentar, vira o alvo da firma em que trabalhou durante anos e, acaba se tornando a caça de um grupo de jovens assassinos psicopatas.


O filme exige uma suspensão de descrença muito grande quando coloca o grupo de assassinos agindo sempre juntos ao invés de se separarem para alcançar o objetivo mais rápido. Outra coisa que não entendi é fato deles terem um sniper que poderia matar qualquer um a distância, mas que só atira para imobilizar enquanto os outros fazem o trabalho, simplesmente não faz sentido.
O …