Pular para o conteúdo principal

DICAS| Filmes para assistir durante o show da virada


Este texto é endereçado pra você amigo que ta sem grana pra viajar com os amigos e brigou com  a família por causa das eleições


Finalmente 2018 está chegando ao fim, esse ano que foi difícil pra muita gente (toca aqui amigues) está ficando pra trás e 1964 2019 está cada vez mais próximo. Pensando em ajudar quem ainda não sabe o que fazer nesse réveillon eu resolvi fazer uma lista de filmes (tem na Netflix) pra você que assim como eu não tem nada pra fazer!



     TOC TOC 



Crítica | TOC TOC - A comédia 'original' mais engraçada da Netflix

Esse filme é uma comédia espanhola lançada em 2017 e dirigida por Vicente Villanueva. O filme se passa em um consultório psiquiátrico, onde um grupo de pessoas com diferentes transtornos obsessivos esperam um médico que está atrasado. Aos poucos essas pessoas acabam se ajudando a enfrentar seus próprios dramas e acabam construindo uma relação de amizade.

NOSSAS NOITES



Um bom motivo pra assistir: Jane Fonda (que mulher meu povo). O filme conta a história de Addie (Jane Fonda) e  Louis (Robert Redford), dois viúvos  que moram em uma pequena cidade e resolvem dormir juntos para espantar a solidão. O interessante desse filme é justamente retratar o nascimento de um amor na terceira idade, a gente tem o costume de tornar invisível essas histórias, por isso é muito legal quando elas são finalmente contadas.

HISTÓRIAS CRUZADAS


Apenas uma frase: “Eat my shit”. Esse filme é maravilhoso, eu assisti ele em um domingo de manhã  (gente domingo de manhã e eu apaixonada por essa história). A primeira coisa que você tem que saber sobre esse filme é: o elenco é composto por Viola Davis, Octavia Spencer, Emma Stone e Jessica Chastain. Se esse elenco por si só não te fizer assistir então assista pela cena da torta de merda e pela sambada na cara dos racistas.

JÁ ESTOU COM SAUDADES



É uma história de amizade que você quer @? Então toma aí na sua cara esse filme lindo. Milly (Toni Collette) e Jess (Drew Berrymore)  são amigas de infância que se vêem em meio a um drama quando uma delas descobre um câncer de mama e a outra descobre uma gravidez. Marcado pelos altos e baixos que uma amizade tão longa pode ter o drama mostra a força que uma amizade verdeira pode nos dar em momentos difíceis.


Baseado em fatos reais esse filme conta a história de Maria Altmann (Hellen Mirren), uma mulher judia que na década de 80 resolve entrar na justiça contra o governo austríaco com o objetivo de reaver a obra Woman in Gold (Gustav Climt) que  retratava sua tia e que fora roubada de sua família por oficiais nazistas durante a segunda guerra mundial.

Vai ter luta!  Esse filme conta um pequeno trecho da história de vida de Martin Luther King Jr. O relato é focado principalmente nos eventos que culminaram na  marcha épica de Selma a Montgomery, Alabama, e na luta pelo direito dos negros americanos ao voto.

 TEMPO DE DESPERTAR



Baseado no livro homônimo, o filme se passa na década de 1960 e conta a história do neurologista Malcon Sayer (Robin Williams) durante seu trabalho com pacientes em estado catatônico e a luta pela administração de uma nova droga que pode ajudá-los a despertar da letargia que se encontram. 
Olha o Robin aqui de novo minha gente! Mais um filme antigo (1989) que se você ainda não viu, esse fim de ano é o momento. Mas adianto logo, não é um filme felizinho, já dei outras opções nesse post. Um professor nada tradicional tenta ensinar os verdadeiros valores da vida para um grupo de jovens garotos que vivem imersos nas pressões sociais e valores morais impostos por uma sociedade conservadora.

Nenhum desses filmes tem sua trama relacionada ao fim do ano, a ideia aqui é apenas te fazer rir, chorar e em alguns casos refletir...

Boas festas!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NETFLIX| É isso que dá ajudar Sementes Podres, babaca

O que um refugiado árabe que aplica pequenos golpes pode ensinar a um grupo de crianças marginalizadas? Essa pergunta é perfeitamente respondida em Sementes Podres (2018), que enche até o mais vazio dos corações de esperança.
Wael (Kheiron) um rapaz que cresceu vendo os horrores da vida, desde que perdeu os pais muito cedo, tenta se redimir ajudando um grupo de crianças que precisam cumprir detenção após a escola. Com o decorrer da história vamos conhecendo um pouco da intimidade das crianças, além de conhecermos a infância de Wael através de flashbacks. O ritmo do filme que lembra muito obras como “Mudança de Hábito” (1992) e “Ao mestre com carinho” (1967) é uma injeção de esperança em uma época que precisa acreditar que pessoas melhoram e podem dar certo.



Cheio de momentos marcantes, um pequeno diálogo chama a atenção quando o pequeno Wael (Aymen Wardane) fala para Monique (Ingrid Donnadieu) que Deus gosta de fazê-lo perder pessoas. Dirigido e roteirizado pelo próprio Kheiron, Seme…

OSCAR| Saiba quem foram os dez últimos ganhadores na categoria Melhor Filme

Daqui a pouco mais de um mês acontece a 91ª edição do Oscar, o evento é conhecido por premiar os melhores filmes do ano anterior (nem sempre a justiça impera). Pensando nisso nós do Marco do Percurso separamos para vocês os últimos dez ganhadores na categoria Melhor Filme, a principal da premiação.

Então pega sua pipoca e seu controle e vem com a gente!

A FORMA DA ÁGUA (2018)



Dirigido por Guilhermo Del Toro "A forma da água" conta a história de Elisa (Sally Hawkins), uma zeladora muda que trabalha em um laboratório ultra secreto do governo dos Estados Unidos durante o período da Guerra Fria e, que acaba se apaixonando por uma criatura fantástica que era mantida em cativeiro pelo laboratório.

MOONLIGHT: SOB A LUZ DO LUAR (2017)



Dirigido por Barry Jenkins o filme conta toda a jornada de autoconhecimento de Black ( Trevante Rhodes, na fase adulta), um menino negro, gay e periférico de Miami. Destaque aqui para a atuação brilhante de Marhershala Ali, como o traficante Juan.

SPOTLI…

CRÍTICA| Polar não é o John Wick da Netflix

Assim que a Netflix começou a divulgar os trailers e imagens de Polar muita gente começou a comparar o personagem de Mads Mikkelsen como sendo o John Wick (Keanu Reeves) da Netflix, mas ontem depois de assistir ao filme eu posso afirmar pra vocês que Polar não chega nem perto do que foi "De volta ao jogo".
Baseado na graphic novel homônima publicada pela Dark Horse o filme acompanha a história do assassino de aluguel Duncan Vizla (Madds Mikkelsen) que, ao ser forçado a se aposentar, vira o alvo da firma em que trabalhou durante anos e, acaba se tornando a caça de um grupo de jovens assassinos psicopatas.


O filme exige uma suspensão de descrença muito grande quando coloca o grupo de assassinos agindo sempre juntos ao invés de se separarem para alcançar o objetivo mais rápido. Outra coisa que não entendi é fato deles terem um sniper que poderia matar qualquer um a distância, mas que só atira para imobilizar enquanto os outros fazem o trabalho, simplesmente não faz sentido.
O …